Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Descansa em paz (by Raquel)

por Raquel, em 07.06.13

Hoje venho falar-vos de um menino de 3 anos que sofria de uma leucemia mieloide aguda, que foi ontem a enterrar. Estou a falar do Rodrigo. Talvez muitos de vós já tenhas ouvido falar dele através da comunidade no facebook entitulada "Vamos ajudar o Rodrigo".

Sei que se trata de uma história com um final infeliz, mas eu, como mãe que sou, penso que na vez dele poderia estar um filho meu ou outro  filho qualquer de outra pessoa.

Ao ler o que transcrevi abaixo, o meu coração ficou muito apertadinho, não sei se consigo imaginar a dor que a mãe do Rodrigo está a passar neste momento. Deve ser uma dor indiscritivel e só a entenderá quem já passou pelo mesmo.

Para ela deixo-lhe um grande abraço e que este pequeno consolo que a Joana Costa escreveu sirva para todas as mães que estão de luto.

 

"Ela deu um pulo quando viu o cirurgião a sair da sala de operações.

Perguntou:

Como é que está o meu filho? Ele vai ficar bom? Quando é que posso vê-lo?

O cirurgião responde:

Tenho pena. Fizemos tudo, mas o seu filho não resistiu.

Maria perguntou:

Porque razão as crianças morrem de cancro? Será que Deus não se preocupa?

Aonde estavas tu, Deus, quando o meu filho precisava de ti?

O cirurgião perguntou:

Quer algum tempo com o seu filho? Uma das enfermeiras irá trazê-lo dentro de alguns minutos, e depois será transportado para uma universidade.

Maria pediu à enfermeira para ficar com ela enquanto se despedia do seu filho. Passou os dedos pelo cabelo ruivo do seu filho.

Quer um cachinho dele? Perguntou a enfermeira.

Maria abanou a cabeça dizendo que sim!

A enfermeira cortou o cabelo e colocou-o dentro de um saco, entregando-o a Maria.

 

Depois de ter passado a maior parte dos últimos 6 meses, Maria saiu do IPO pela última vez.

Colocou o saco com as coisas do seu filho no banco do carro ao lado dela.

A viagem para casa foi difícil.

Foi mais difícil ainda entrar em casa, que se encontrava mais vazia.

Levou o saco com as coisas do Marco, incluíndo o cabelo, para o quarto dele.

Começou a colocar os carros, e as outras coisas no quarto exatamente nos locais onde ele sempre os teve.

Deitou-se na cama dele, agarrou a almofada e chorou até que adormeceu.

 

Era quase meia-noite quando acordou e ao lado dela estava uma carta.

 

A carta dizia:

"Querida mamã

Sei que vais ter muitas saudades minhas, mas não penses que me vou esquecer de ti, ou que vou deixar de te amar só porque não estou perto para te dizer AMO-TE.

Eu vou sempre amar-te cada vez mais mamã por cada dia que passe.

Um dia vamos estar juntos de novo!!

Não fiques triste a pensar em mim. Este lugar é mesmo fantástico!

Os avós vieram-me receber assim que cheguei para me mostrar tudo.

Os anjos são mesmo lindos! Adoro vê-los voar!

E sabes uma coisa?

O Jesus não se parece nada como se vê nas fotos, embora quando o vi o tenha conhecido logo.

Ele levou-me a conhecer Deus!

E sabes uma coisa, sentei-me no colo dele e falei com ele como se eu fosse uma pessoa importante.

Foi quando lhe disse que te queria escrever esta carta para dizer adeus e tudo mais.

Mas eu já sabia que não era permitido.

Mas sabes uma coisa mamã?

Deus entregou-me um papel e a sua caneta pessoal para eu poder escrever-te esta carta.

Acho que Gabriel é que te vai entregar esta carta.

Deus disse para te responder a uma das perguntas que lhe fizes-te, "aonde estava ele quando eu mais precisava?"

Deus disse que estava no mesmo sitio, tal e qual, quando o filho dele Jesus, foi crucificado. Ele estava presente tal e qual como está com todos os filhos dele.

Mamã, só tu é que consegues ver o que escrevi, mais ninguém. As outras pessoas vêm esta folha em branco.

É mesmo maravilhoso não é?

Eu tenho que dar a caneta de volta a Deus, para ele poder continuar a escrever no seu livro da vida.

Esta noite vou jantar na mesma mesa com Jesus.

Tenho a certeza que a comida vai ser boa.

Estava quase a esquecer-me de te dizer: já não tenho dores, o cancro já se foi embora.

Ainda bem, porque já não podia mais e Deus também não podia ver-me assim.

Foi quando ele enviouo Anjo da Misericórdia para me vir buscar.

O Anjo disse que eu era uma encomenda muito especial. Que dizes a isto?

 

Beijinhos mamã!

Assinado com amor de Deus, Jesus e de mim."

 

 

publicado às 19:18



Página Vida de Mãe




COMENTáRIOS RECENTES




calendário

Junho 2013

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




subscrever feeds