Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Dores de cérebro (by Raquel)

por Raquel, em 27.06.13

Esta foi uma das muitas conversas que surgem assim do nada de uma criança de 6 anos que por acaso é minha filha.

Diz-me ela: "Dói-me o cérebro!"

Eu corrijo: "Não se diz dói-me o cérebro, mas sim doi-me a cabeça."

Ela risposta: "Mas doi-me mesmo o cérebro, é por dentro que me doi e não por fora."

Eu arregalei os olhos, sem saber o que dizer.

São estas pequenas grandes conversas que me vão ficar gravadas eternamente na memória, até que ela me falhe.

 

publicado às 19:35

As grandes questões da vida (By Sara)

por Raquel, em 25.06.13

Ouço os seus passos leves pela casa, vou ao seu encontro e como mãe que sou identifico de imediato o seu ar triste.

 

Pergunto-lhe que se passa.

 

"Onde está o papá?" questiona-me. 

 

"No escritório" digo-lhe. 

 

Sigo-o até lá e quando chega ao pé do pai pára a seu lado e olha para trás para confirmar que estou ali a seu lado.

Sinto um aperto no peito. Algo o está a fazer sofrer, reparo nos seus olhos brilhantes a conter as lágrimas.

 

"O que foi meu filho?" pergunto-lhe baixando-me e dando-lhe um abraço.

 

"Há uma coisa muito importante que vos quero dizer!

Quando eu for adulto, vocês não podem morrer! Eu não quero ficar sem vocês!"

 

Em segundos um nó nasce na minha garganta. 

 

"Mas porque pensaste nisso?" questiono-lhe

 

"Porque sim, porque há filhos que perdem os pais em adultos, mas eu não quero perder!" diz-me com os olhos molhados e uma voz arranhada. 

 

Abraço-o! O pai também o abraça. 

 

"Não te preocupes meu amor, vamos estar sempre aqui! Os meus pais e os pais do papás ainda são vivos, já viste? E os meus avós ainda são vivos com quase 90 anos de idade! Nós vamos fazer de tudo para viver o máximo de tempo possível e estar sempre contigo e com o teu mano. Prometemos!"

 

"Obrigada papá e mamã!"

 

E este foi um daqueles momentos onde o sentimento de dor, angústia, amor incondicional e medo andaram de mão dada!

 

publicado às 22:14

Vida de Mãe em Destaque!!!

por Raquel, em 25.06.13

 

Qual não foi o meu espanto ao ver o nosso blog em destaque na página dos Blogs do Sapo!!

 

Parabéns a todas as mamãs que entraram comigo neste projecto. Ainda hoje pensei numas ideias para uns novos posts (ando sem tempo nenhum).

 

Obrigada ao Sapo e obrigada a todas vocês mamãs lindas e a todos os que nos visitam!!

 

publicado às 21:41

O desmame! ( by Cindy)

por Life Inc, em 25.06.13

Vinha aproveitar este nosso cantinho de partilha para ver se alguém me ajudava nesta minha próxima tarefa.

 

Na consulta dos 12 meses no centro de saúde fui surpreendida com um: " Agora tem de fazer o desmame porque a partir de agora a mama é só mimo" por parte da médica de serviço. Pois a doutora não deve saber que a OMS recomenda a amamentação até aos 2 anos de idade. Diga-se de passagem que é uma médica jovem e que deve ter pouca experiência pelo que me entrou por um ouvido e saiu pelo outro. Mas fico sempre chocada com estas atitudes tão díspares em relação à amamentação. O próprio pediatra deixou-me à vontade para introduzir o leite de vaca quando assim o entendesse.

 

Mas a verdade é que tenciono começar o desmame. Não porque a médica o entende mas sim porque acho que está na altura. São momentos que eu adoro mas acho que está na hora de começar a nossa emancipação. Não quer dizer que ela vá deixar de mamar já mas quero ir levando a coisa com calma e aos poucos.

 

Nos últimos tempos ela só mama 2 vezes ao dia - ao pequeno almoço e antes de dormir, à laia de sobremesa. Este fim de semana tentámos oferecer o biberão com leitinho de vaca mas não se mostrou muito apologista. A verdade é que ela usou o biberão poucas vezes e já há muito tempo que não o usa.

 

Portanto a minha ideia é introduzir o leite de vaca calmamente, por exemplo na papa, para ela se ir habituando ao sabor. Quiçá comprar um copinho especial com palhinha, já que ela não gosta do biberão.

 

Sugestões?

 

xoxo

cindy

 

publicado às 16:00

Fim do ano letivo

por Anabela, em 20.06.13

 

O ano letivo este ano passou a voar. Pelo menos para as crianças do 1º ciclo as férias já chegaram. As férias são quase três meses, quanto a mim, tempo demais. Esta primeira semana, cá em casa é só para brincar, mas depois, terei de fazer trabalhos com ele, para que o tempo não o faça esquecer aquilo que aprendeu.

De qualquer forma desejo a toda a comunidade escolar umas boas férias!

publicado às 10:16

O incrível talento de uma criança de 3 anos(by luadoceu)

por luadoceu, em 15.06.13



Um bom fds a todas as maes e pais


E uma boa semana tb


Luadoceu

publicado às 18:52

Pudim Abade de Priscos...

por Raquel, em 10.06.13

E no meio do restaurante enquanto o pai lhe lê a ementa da sobremesa pergunta ele: 'oh pai o que é pudim vai de riscos?'

 

(nem por a mãe ser natural de Priscos, pá)

publicado às 17:28

Descansa em paz (by Raquel)

por Raquel, em 07.06.13

Hoje venho falar-vos de um menino de 3 anos que sofria de uma leucemia mieloide aguda, que foi ontem a enterrar. Estou a falar do Rodrigo. Talvez muitos de vós já tenhas ouvido falar dele através da comunidade no facebook entitulada "Vamos ajudar o Rodrigo".

Sei que se trata de uma história com um final infeliz, mas eu, como mãe que sou, penso que na vez dele poderia estar um filho meu ou outro  filho qualquer de outra pessoa.

Ao ler o que transcrevi abaixo, o meu coração ficou muito apertadinho, não sei se consigo imaginar a dor que a mãe do Rodrigo está a passar neste momento. Deve ser uma dor indiscritivel e só a entenderá quem já passou pelo mesmo.

Para ela deixo-lhe um grande abraço e que este pequeno consolo que a Joana Costa escreveu sirva para todas as mães que estão de luto.

 

"Ela deu um pulo quando viu o cirurgião a sair da sala de operações.

Perguntou:

Como é que está o meu filho? Ele vai ficar bom? Quando é que posso vê-lo?

O cirurgião responde:

Tenho pena. Fizemos tudo, mas o seu filho não resistiu.

Maria perguntou:

Porque razão as crianças morrem de cancro? Será que Deus não se preocupa?

Aonde estavas tu, Deus, quando o meu filho precisava de ti?

O cirurgião perguntou:

Quer algum tempo com o seu filho? Uma das enfermeiras irá trazê-lo dentro de alguns minutos, e depois será transportado para uma universidade.

Maria pediu à enfermeira para ficar com ela enquanto se despedia do seu filho. Passou os dedos pelo cabelo ruivo do seu filho.

Quer um cachinho dele? Perguntou a enfermeira.

Maria abanou a cabeça dizendo que sim!

A enfermeira cortou o cabelo e colocou-o dentro de um saco, entregando-o a Maria.

 

Depois de ter passado a maior parte dos últimos 6 meses, Maria saiu do IPO pela última vez.

Colocou o saco com as coisas do seu filho no banco do carro ao lado dela.

A viagem para casa foi difícil.

Foi mais difícil ainda entrar em casa, que se encontrava mais vazia.

Levou o saco com as coisas do Marco, incluíndo o cabelo, para o quarto dele.

Começou a colocar os carros, e as outras coisas no quarto exatamente nos locais onde ele sempre os teve.

Deitou-se na cama dele, agarrou a almofada e chorou até que adormeceu.

 

Era quase meia-noite quando acordou e ao lado dela estava uma carta.

 

A carta dizia:

"Querida mamã

Sei que vais ter muitas saudades minhas, mas não penses que me vou esquecer de ti, ou que vou deixar de te amar só porque não estou perto para te dizer AMO-TE.

Eu vou sempre amar-te cada vez mais mamã por cada dia que passe.

Um dia vamos estar juntos de novo!!

Não fiques triste a pensar em mim. Este lugar é mesmo fantástico!

Os avós vieram-me receber assim que cheguei para me mostrar tudo.

Os anjos são mesmo lindos! Adoro vê-los voar!

E sabes uma coisa?

O Jesus não se parece nada como se vê nas fotos, embora quando o vi o tenha conhecido logo.

Ele levou-me a conhecer Deus!

E sabes uma coisa, sentei-me no colo dele e falei com ele como se eu fosse uma pessoa importante.

Foi quando lhe disse que te queria escrever esta carta para dizer adeus e tudo mais.

Mas eu já sabia que não era permitido.

Mas sabes uma coisa mamã?

Deus entregou-me um papel e a sua caneta pessoal para eu poder escrever-te esta carta.

Acho que Gabriel é que te vai entregar esta carta.

Deus disse para te responder a uma das perguntas que lhe fizes-te, "aonde estava ele quando eu mais precisava?"

Deus disse que estava no mesmo sitio, tal e qual, quando o filho dele Jesus, foi crucificado. Ele estava presente tal e qual como está com todos os filhos dele.

Mamã, só tu é que consegues ver o que escrevi, mais ninguém. As outras pessoas vêm esta folha em branco.

É mesmo maravilhoso não é?

Eu tenho que dar a caneta de volta a Deus, para ele poder continuar a escrever no seu livro da vida.

Esta noite vou jantar na mesma mesa com Jesus.

Tenho a certeza que a comida vai ser boa.

Estava quase a esquecer-me de te dizer: já não tenho dores, o cancro já se foi embora.

Ainda bem, porque já não podia mais e Deus também não podia ver-me assim.

Foi quando ele enviouo Anjo da Misericórdia para me vir buscar.

O Anjo disse que eu era uma encomenda muito especial. Que dizes a isto?

 

Beijinhos mamã!

Assinado com amor de Deus, Jesus e de mim."

 

 

publicado às 19:18

Parto (by Cindy)

por Life Inc, em 03.06.13

A Mãe, etc lançou a discussão ao colocar aqui aquele video ternurento que retrata um nascimento em casa. Achava interessante partilharmos experiências e pontos de vista sobre este momento que tanto pode ser uma experiência maravilhosa como traumatizante.

 

Confesso que nunca tive receio do parto. Li muito, ouvi falar muito, frequentei as aulas de preparação para o parto com o pai e acho que estávamos preparados e alertados para a maior parte das situações. Sabiamos quais as práticas correntes, o que poderia correr mal e como proceder.

 

No meu caso, as contrações começaram logo pouco espaçadas. Sabia pelas aulas que entre a primeira e o início do trabalho de parto poderiam demorar horas e que só deveria dirigir-me à maternidade quando fossem menos espaçadas. Era meia-noite, o S. tinha acabado de chegar do futebol e eu ia deitar-me quando senti a primeira. Aiiiiiiiiii, isto é que é uma contração? Sentei-me na bola, fui fazendo os exercícios de resiração mas passado uma hora já estavam 3 em 10 minutos e lá fomos nós. Quando chegámos à maternidade já estavam ainda menos espaçadas, fui examinada por uma parteira, depois veio a médica e fui logo para a sala de partos. Veio o anestesista, levei a epidural e maravilha! passaram as dores! E ali fiquei eu, com as maquinetas todas. O S. foi dormitando, eu nem por isso. Pelas 5h da manhã rebentou a bolsa, a dilatação ia aos poucos e resolveram pôr a oxitocina a correr. Dilatação quase completa, já sentia vontade de fazer força mas não sabia quando o devia fazer porque não sentia as contrações a ir e vir. A oxitocina fez com que as contrações acelerassem a um ritmo que o corpo não conseguia acompanhar. Felizmente passou o efeito a epidural e aí sim, consegui entregar o pacote - a nossa Pinypon. Uma sensação indiscritível a de me deitarem a bébé no peito, acabadinha de nascer!

 

Durante o parto fui somente assistida por enfermeiras parteiras, uma delas ainda em formação. Não tenho nada a apontar. Fizeram-me várias vezes o toque, pediram sempre licença. Quando chegou a parte final do parto, uma delas disse que ia fazer força sobre a barriga porque a bébé estava sempre a subir, sempre muito delicadas e mesmo quando eu já estava exausta de fazer força, nunca pararam de me incentivar. Isso e o apoio do pai foram fundamentais. Não foi necessário cortarem-me, a cachopa saiu e rasgou apenas o necessário. Não acho que tenha sido um parto doloroso, aliás o que me doeu mais foram os pontos visto que a anestesia não pegou e senti tudo. Mas foi de pouca duração e poucos pontos.

 

O pós-parto também correu bem. A única dificuldade era mesmo dar de mamar, mas sempre que era preciso, fosse de dia ou noite, era só chamar a enfermeira. Ao fim de dois dias estava em casa e contente por ter optado por um parto na maternidade pública.

 

O certo é que nem toda a gente tem uma experiência tao boa. Por exemplo, a minha companheira de quarto teve uma experiência traumatizante e quando hoje me lembro fico cheia de pena da rapariga e certa de que se fosse comigo tinha apresentado queixa. Teve um parto muito demorado que terminou em cesariana. Ela estava cheia de dores e a medicação não estava a resultar. Só ao fim do segundo dia é que finalmente chamaram o anestesista para falar com ela, depois de ela ter literalemtne explodido com uma enfermeira. Lá veio o jeitoso e sai-se com esta pérola: O seu filho foi planeado? A rapariga, a enfermeira e eu ficámos atónitas! Ela lá lhe respondeu à altura, que sim, tinha sido planeado e desejado, ao que ele responde: Está-se a queixar tanto que pensei que tivesse sido um acidente e não quisesse o bébé?! Ora digam lá o que este médico merecia?!

 

Enfim! Espero que partilhem aqui as vossas experiências!

 

xoxo

cindy

Tags:

publicado às 09:30

Um metodo para adormecer bebes(by luadoceu)

por luadoceu, em 02.06.13


Um bom domingo e boa semana

publicado às 14:43

Pág. 1/2




Página Vida de Mãe




COMENTáRIOS RECENTES

  • Raquel

    Pois! ;(

  • Raquel

    Certo, David. :)

  • David Marinho

    Alguns paizinhos é que não educam os filhos, infel...

  • A Hipster Chique

    Incrível... Uma realidade difícil de controlar...

  • K. Clara Branco

    ops...campo minado! xDConfesso que não sei bem com...

  • Heidiland

    As crianças têm umas saídas muito engraçadas.

  • Ligia Vieira

    Quais são as fraldas do continente que usas? Já us...

  • Sam

    Para quem gosta de redes sociais e quer ganhar uns...

  • familiavieiraribeiro

    O miúdo já foi exposto em demasia!!! Retiraram mas...

  • Raquel

    Mesmo e no que ainda estará por vir se assim conti...




calendário

Junho 2013

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




subscrever feeds